Polícia Militar terá Base Móvel e patrulha ciclística em Anápolis

Comandante do 4º BPM fala ao Portal e diz que base móvel vai atuar nas áreas de maior necessidade. O Policiamento Ciclístico será implantado em parceria com a Prefeitura que cederá os veículos.

Por Redação 30/08/2018 - 00:14 hs
Foto: SSP-GO

As unidades da Polícia Militar sediadas em Anápolis vão contar, a partir de setembro, com mais duas novas frentes de policiamento, para oferecer ações mais amplas na segurança da cidade.

O Tenente-Coronel Allan Pereira Cardoso, comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar, concedeu entrevista ao Portal Anápolis 24 Horas, onde falou sobre a atuação da corporação em Anápolis e as novas ações que a PM vai desenvolver nos próximos dias.

Confira a entrevista do comandante.

Portal Anápolis 24 Horas: A PM vai anunciou que vai diversificar as ações de policiamento na cidade. Como isso será feito?

Estamos baseando nosso trabalho em um tripé de ações. Primeiro, estabelecer cada vez mais a proximidade da PM com a comunidade, do policial com o cidadão. Segundo, buscar o cumprimento das metas estabelecidas pela Secretaria de Segurança Publicas, que, através da análise criminal e do Observatório de Segurança Pública, monitora todas as ocorrências no estado e estabelece metas trimestrais para a corporação.  Em terceiro lugar, melhorar as condições de trabalho e as instalações físicas da unidade.

Quais ações serão empreendidas para alcançar estes objetivos?

Dentro destas metas fomos buscar a diversificação das formas de atuação do policiamento. Estamos procurando sair um pouco do método tradicional, daquele policiamento reativo, dentro de uma viatura, demandado pelo serviço 190. Uma destas ações, já prevista para ser implantada em breve, serão as bases comunitárias móveis, que consiste num veículo equipado com toda a estrutura para atendimento ao cidadão. Funciona como se instalássemos um pequeno quartel em determinado bairro onde haja um problema pontual. Juntamente com a base móvel levamos um reforço do policiamento. Então, estas bases tem o objetivo de ser, como já disse, uma espécie de quartel móvel. Nos próximos dias o 4º Batalhão vai receber o primeiro veículo para começar a funcionar a Base Móvel Comunitária da PM em Anápolis. Nossa intenção a termos duas bases móveis.

E o policiamento ciclístico, como vai funcionar?

Tive a oportunidade de implantar o policiamento ciclístico em Goiânia, quando comandava a região que abrangia o Parque Vaca Brava. Similarmente, aqui na cidade, vamos começar colocando este serviço no Parque Ipiranga, que é a área de lazer mais frequentada da cidade. O policiamento ciclístico é feito com duplas de policiais com bicicletas apropriadas, com apoio de viaturas, efetuando a ronda em locais e horários com maior fluxo de pessoas. O policiamento ciclístico contará com novos policiais da última turma da PM e que já estão finalizando o estágio. Estes policiais trabalharão com um fardamento diferenciado, mais leve e apropriado à condução de bicicletas., em duplas ou trios, tendo uma viatura de apoio em cada turno de trabalho. Vale ressaltar a versatilidade proporcionada pela bicicleta como meio de transporte, ela possibilita ao militar adentrar de forma rápida em pontos onde o automóvel não consegue entrar.

Portanto, acredito que dentro de duas semanas poderemos fazer funcionar o policiamento ciclístico. Esta ação está sendo feita em parceria com o CMTT e a Prefeitura, que vai adquirir 4 bicicletas para esta primeira fase. Como eu disse, neste primeiro momento vamos priorizar o serviço no Parque Ipiranga, mas é claro que, no caso de eventos e outros lugares em que seja necessário e viável o uso da bicicleta, faremos o deslocamento.

Anápolis 24 Horas: Nestes casos a PM passará a atuar mais de forma preventiva?

Os objetivos principais são aumentar a proximidade do policial com o cidadão e a diversificação das ações da PM. Por exemplo, a bicicleta não cobre o raio alcance de uma viatura motorizada, mas ela entra onde o carro não vai. Essas ações diversificadas vão nos ajudar, com mais eficiência, a coibir o uso de drogas que acontece com frequência em locais como praças e parques.

Nestes casos a PM passará a atuar mais de forma preventiva?

Todas estas ações estão dentro do nosso tripé, principalmente o que contempla a aproximação da PM com a comunidade e está em consonância com outra linha de ação, que é reduzir a criminalidade.

A essência do trabalho da PM é a prevenção. E se é assim, não podemos ficar presos aos chamamentos do 190 que é uma ação reativa, já aconteceu.  Embora tenhamos que diminuir, claro, o tempo de resposta, o foco da PM não é este tempo de resposta à demanda, mas evitar que aconteçam fatos que gerem ocorrências onde sejamos apenas reativos. Só conseguiremos isso com presença, com o policiamento mais próximo das pessoas, principalmente nos locais de maior aglomeração.

O efetivo da PM em Anápolis está muito abaixo do ideal, a ponto de prejudicar o trabalho?

Não. Existem locais no estado onde o efetivo é, proporcionalmente, menor que o de Anápolis. O problema do número inferior ao ideal existe? Sim, mas, então, temos que trabalhar com a perspectiva de direcionar o policiamento existente, diversificando as ações e utilizando outras modalidades de policiamento. Eu não posso ficar sentado na sala do Comando e dizer que não vou resolver os problemas por falta de efetivo; não vai adiantar. 

Nós acompanhamos diariamente as ocorrências, sabemos onde são os focos, onde estão as maiores demandas e é lá que temos de colocar o policiamento. O policiamento em Anápolis é suficiente para a demanda. É claro que qualquer comandante quer um contingente maior, mas nosso efetivo é razoável e atende à demanda. Vale ressaltar que já temos um grupo de policiais recém-formados que estão estagiando em todas as unidades do 3º Comando Regional e, ao final do estágio, acredito que tenhamos em torno de 40 novos policiais destacados em Anápolis. Estes novos policiais estarão nas ruas em novembro.

A PM está finalizando o edital para um novo concurso que vai ofertar 2000 vagas. Anápolis será contemplada no preenchimento delas?

Sim, como Anápolis é sede de comando regional, sempre que novas turmas se formam há a destinação de contingente para cá.  O 3º CRPM abrange uma grande região que inclui batalhões e outras unidades em cidades como Inhumas, Nerópolis, Terezópolis, Goianápolis, Corumbá, Pirenópolis, entre outras. Portanto, um efetivo será destinado ao 3º Comando Regional, que fará o destacamento nas unidades subordinadas. Anápolis tem prioridade, até por ser a maior cidade e que tem sempre maior demanda.